SINALIZAÇÃO DE PORTAS E PASSAGENS: PLACAS DE IDENTIFICAÇÃO DEVEM CONTER ALTO RELEVO E BRAILLE DE ACORDO COM A NORMA ABNT 9050

A deficiência é uma limitação de determinada ação. Pessoas portadoras de deficiência visual possuem grande dificuldade de locomoção, mesmo quem apenas tem como dificuldade uma limitação de visão, ou seja, a chamada visão baixa.

 

Nesses casos, ambientes bem sinalizados como portas e passagens garante a segurança e autonomia a essas pessoas. Dessas maneira, elas saberão para onde estão indo sem problema algum.

 

Determinados ambientes possuem um número X de salas e todas devem estar sinalizado segundo as normas da ABNT. A sinalização de portas e passagens ou placas de sinalização  devem estar de acordo, contendo alto relevo e braille.

 

O BRAILLE

 

Braille é um sistema de escrita em alto relevo desenvolvido para que pessoas portadoras de deficiência visual consiga ler usando a sensibilidade da ponta de seus dedos. Esta foi criada por Louis Braille.

 

Louis Braille é um francês que logo na infância perdeu sua visão decorrente de um grave acidente.

 

A sinalização de portas e passagens deve estar ao alcance de quem precisa. As portas normalmente são sinalizadas de maneira a informar as pessoas sua serventia, ou seja, para que é determinada sala (consultório, sala de exames, saída, dispensa, etc.).

 

Portadores de deficiência visual necessitam dessa mesma informação e a obrigatoriedade da presença de Braile nas placas garante isso.

 

ACIDENTES POR FALTA DE SINALIZAÇÃO

 

 

A falta de sinalização de portas e passagens é um risco a vida de deficientes. Pense comigo o risco de sair por aí sem informação alguma que o guie. No mínimo você ficará perdido e em situações piores, podem ocorrer acidentes.

 

Imagine a situação. Um deficiente visual está andando por um ambiente desconhecido, vamos usar um hospital como exemplo. Este deve conter placas com alto relevo, e Braile indicando o caminho que leve ao local pretendido.

 

A falta disso vai fazê-lo ir, provavelmente, por direções erradas. Muitos hospitais possuem sacadas nos quartos, ou escadas altas. Imagine um deficiente desavisado da presença de uma escada.

 

Este pisara em falso e despencará escada a baixo. A sinalização de portas e passagens poderia ter dito a essa pessoa que a frente existiria uma escada e o cuidado deve ser redobrado.

 

PERDIDOS

 

Mesmo uma pessoa saudável, na ausência de sinalização de portas e passagens, acaba perdido em qualquer lugar. Isso não é incomum e pode ocorrer em qualquer ambiente.

 

Pessoas com deficiência visual, claramente acabam em situações piores, a falta de simples placas de sinalização e indicativas pode levá-los a segui por caminhos desconhecidos, às vezes muito longe de onde realmente precisam estar.

 

O ambiente, segundo as normas da ABNT, deve estar de acordo com as indicações. Portas e passagens precisam conter placas com Braille e alto relevo em figuras, como no caso de banheiros.

 

Isso ajuda o deficiente a se guiar melhor pelo ambiente. Descumprir essas normas pode acarretar em prejuízos. Deixar de investir em sinalização de portas e passagens é um erro grave.

 

DEFICIENTES FÍSICOS

 

Mesmo pessoas que possuam deficiência física dependem da sinalização para encontrarem o lugar mais acessível a eles, como rampas de acesso, passagens adaptadas e se determinado lugar possui escadas.

 

Um cadeirante, por exemplo, não vai conseguir subir e descer as escadas com a cadeia de rodas. O risco de cair é muito grande, podendo levar a sérias lesões.

 

A sinalização de portas e passagens deve conter um indicativo da existência de passagens adaptadas para essas pessoas.

 

CONCLUSÃO

 

A sinalização de portas e passagens  ou placa de sinalização de portas é altamente preciso para que ninguém acabe perdido em um ambiente desconhecido. Pessoas com deficiência, principalmente visual, dependem dessa sinalização para conseguirem autonomia sem dependência de terceiros para locomoção.

 



Deixe uma resposta